Este fim-de-semana foi tempo de regressar às provas, pela primeira vez desde a Maratona de Madrid na Corrida Fernanda Ribeiro. Mas desta vez a abordagem foi bem diferente: o objetivo era correr e acima de tudo DESFRUTAR. Sem qualquer tipo de objetivo competitivo quis correr esta prova como forma de preparar a Meia Maratona do Douro graças a um percurso com uma altimetria desafiante com constantes subidas e descidas. O final vai ficar para sempre na minha memória, mas para saberem mais vão ter de continuar a ler.

Condições excelentes para correr

Mais um domingo a competir e mais um excelente dia para correr, com sol, uma temperatura amena e muita vontade de correr. A partida da Corrida Fernanda Ribeiro aconteceu na junto à Câmara Municipal da Maia que cedo se encheu para receber os atletas da caminhada que antecedeu a prova dos 10km. A festa já estava preparada e contava com Fernanda Ribeiro na meta para receber os atletas.

 

Foi provavelmente a vez que me lembro de correr mais relaxado, sem pressão, sem pensar no relógio e simplesmente a aproveitar. Basicamente parecia um treino, só que desta vez tinha mais umas largas centenas de pessoas a correrem comigo. E mesmo que nos últimos tempos a forma não tenha andado no topo (o corpo ainda não está totalmente recuperado da maratona) a verdade é que as pernas reagiram bem e conseguiram manter um ritmo vivo que me dá ainda mais vontade de continuar a preparar a Meia Maratona do Douro Vinhateiro, aquela que muitos conhecem como A Mais Bela Corrida do Mundo.

A melhor falange de apoio do mundo

Pode não ser grande mas na Corrida Fernanda Ribeiro pude contar com a melhor claque do mundo. A minha mãe é já uma habituée e se tenho tão boas fotografias a correr a ela lhe devo o gosto e a paciência de me acompanhar nestas andanças sempre que possível. Mas, desta vez tive direito ao membro mais novo do clã, o meu sobrinho Rodrigo, que não se cansou de gritar pelo nome do Tio Ticas e que tanta força me deu.

 

Se aquele dia já tinha sido escolhido para desfrutar, aqueles gritos (e olhem que estamos a falar de um menino de 4 anos mas que grita que se farta!) foram um verdadeiro boost de alegria e ainda mais de energia. Se nem sempre as pernas queriam responder ao constante sobe e desce do percurso de 5km+5km, aqueles gritos souberam tão bem que o sorriso não saiu mais da cara!

Controlar o ritmo para não abafar nas subidas

Com uma partida que começava logo nos primeiros metros a descer era muito importante não me deixar ir em euforias, porque se começava a descer, acabava a subir e as pernas são as mesmas! Portanto mantive sempre um ritmo consciente, confortável e sem grandes abusos para não abafar no final.

 

Com constantes oscilações de desnível a verdade é que não foi fácil a gestão mas as pernas ainda assim responderam bem, até melhor que eu estava à espera. E mesmo sem pensar em tempos terminar com um tempo de 43m53s não posso estar de todo desiludido.

O melhor final de sempre

A festa já estava feita, o tempo não importava e os 10kms já estavam a acabar. Foi algures pelo 9º km que tive a ideia de dar um mimo ao meu maior apoiante! Ele está sempre a dizer que quer vir correr com o Tio Ticas…pois então esta era uma oportunidade de ouro.

 

Era para ter avisado a minha mãe mas não consegui, mas calhou bem que na parte final eles foram para junto da meta. Mal os vi comecei a chamar pelo Rodrigo para vir comigo até à meta. E lá fizemos os últimos 50 metros de mão dada até à chegada. A alegria dele a cruzar a meta a correr foi a melhor medalha de todas. Desta feita a festa foi a dois e o sorriso dele valeu por tudo!

Resultado Final na Corrida Fernanda Ribeiro

Tempo Oficial: 43m54s

Tempo Líquido: 43m34s

Classificação Geral: 144º lugar

Classificação Escalão: 41º lugar

 

Esta medalha é dos dois Roo!

 

Abranda o ritmo e não te esqueças de me deixar o teu comentário